RISCO

HELENA DIAS

EXPOSIÇÃO ADIADA PARA DATA A DEFINIR |

SALA ESTÚDIO

CE: TODOS OS PÚBLICOS

PREÇÁRIO:
Entrada Livre







RISCO

SINOPSE

A exposição Risco põe em confronto dois tempos na Pintura de Helena Dias: por um lado apresenta um conjunto de três trabalhos produzidos entre 1974 e 1976 (os únicos existentes deste período), por outro apresenta um conjunto de trabalhos produzidos entre 2018 e 2020.

Um pouco mais de 40 anos separam umas obras das outras, no entanto, embora com linguagens técnicas diferentes, há elementos (e preocupações) formais constantes: a Helena Dias interessou e continua a interessar, quase obsessivamente, a prática (ou exercício) pura(o) da Pintura.

O título Risco põe em evidência duas abordagens a esta exposição: remete para o elemento formal que caracteriza as obras presentes neste projeto, e confronta-nos com os riscos (e a coragem, eu diria também) inerentes a retomar a Pintura após um interregno de cerca de 28 anos.


Raquel Guerra

BIOGRAFIA

Helena Dias nasceu em Viana do Castelo, em 1956. Vive e trabalha em Oliveira de Azeméis.

Licenciada em Pintura pela ESBAP (Escola Superior de Belas Artes do Porto), em 1976. Professora do Ensino Preparatório e do Ensino Secundário, entre 1974 e 2013.

Helena Dias começou a pintar por volta dos 14 anos, tendo frequentado o atelier do Mestre Mendes da Silva antes de ingressar na ESBAP. Tem uma produção artística (Pintura e Desenho) regular até terminar o curso. Entre 1977 e 2005 dedica-se exclusivamente ao ensino, motivo pelo qual deixa de produzir, tendo apenas ilustrado, em 1984/85, os livros “O Canteiro Vaidoso” e “A Joaninha de Asas Cortadas”.

Em 2005 produz um conjunto de guaches sobre papel para a exposição coletiva “Artistas de uma Terra”. Segue-se depois mais um período de paragem de 3 anos. Em 2008 dedica-se ao Desenho e Aguarela. Em 2009 retoma a Pintura e, desde essa data, nunca mais parou de produzir, tendo participado em inúmeras exposições coletivas.

Entre 2009 e 2013 dedica-se à técnica mais tradicional da pintura - pintura direta sobre tela. A partir de 2013 começam as primeiras experiências de colagem de tiras de tinta acrílica na tela. Neste período, do ponto de vista da técnica, a pintura de Helena Dias é uma pintura híbrida, na medida em que concilia a pintura direta com a colagem de tiras de tinta. Posteriormente, Helena Dias abandona a técnica da pintura direta sobre tela e dedica-se exclusivamente à colagem de tiras de tinta.

Em 2017, no que diz respeito à técnica, Helena Dias inicia uma nova fase no seu percurso. A autora leva o exercício da Pintura a um novo limite: abdica do seu suporte.

O seu trabalho está a ser alvo de estudo por parte de uma equipa de especialistas em Conservação e Restauro de Arte Contemporânea da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa_Porto. Os primeiros resultados desta pesquisa foram apresentados em fevereiro do corrente ano integrados na 21ª Jornada de Conservação de Arte Contemporânea do Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Madrid. Os investigadores Joana Moreira Teixeira e Nuno Mendes Camarneiro apresentaram a comunicação: "Cuando el artista contemporáneo busca soluciones de conservación: las pinturas sin soporte de Helena Dias".
 

Exposições Individuais

2017 “Tramas”, Centro de Arte S. João da Madeira, nos Paços da Cultura, S. João da Madeira - Curadoria: Raquel Guerra (CAT)

2016 “Espaços”, Casa Barbot, Vila Nova De Gaia

2016 “Sintonias”, Museu de Ovar, Ovar

2015 “O Branco Precisa de Cor”, Galeria Almedina, Coimbra

2013 “Vibrantes”, Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira

2013 “Exposição de Pintura”, Paços do Concelho de Viana do Castelo

 

Exposições Coletivas

2019 “ #005CA Contemporary Art Exhibition “, Art LAB 24, Contemporary Art, Espinho

2018 “ Arte de Bolso 7ª edição “, Galeria Sete, Coimbra

2018 “ Valha-me Santa Bárbara – Patrona dos Mineiros”, Centro Comercial Avenida, Coimbra

2018 “Estéticas Individuais para uma História Coletiva – Memórias / Série 1”, Galeria do CCAM - Galeria Barca d´Artes, Viana do Castelo

2018 “Amadeo, Centenário da Morte”, Galeria Amadeo de Souza-Cardoso, Museu Municipal de Espinho

2017 “Arte de bolso 6ª edição”, Galeria Sete, Coimbra

2017 “4ª Bienal Internacional Mulheres D´ Artes”, Museu Municipal de Espinho, Espinho

2016 “Arte de Bolso 5ª edição”, Galeria Sete, Coimbra

2016 “AgitARTE”, Exposição Solidária Internacional, U niversidade Sénior do Porto, Porto

2016 “Onda Bienal em Cerveira”, Fórum de Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Cerveira

2016 “Solidarte”, Casa das Artes, Porto

2016 “Traço no Feminino”, HECOART, Galeria de Arte, Esposende

2016 “Eu Não Sou uma Ilha”, Espaço Santa Catarina, Lisboa

2015 “Arte de Bolso 4ª edição”, Galeria Sete, Coimbra

2015 “Estímulos Contemporâneos – Poesia Visual”, Fundação José Rodrigues, Porto

2015 “Colectiva de Natal”, Galeria Por Amor, Espaço de Arte REM, Porto

2015 “XI Bienal de Pintura Eixo Atlântico”, Portugal e Espanha

2015 “Vista de Cima”, Onda Bienal, Galeria Espaço de Artes Jorge Marinho, Vila Real

2015 “A Colecção” , Museu de Ovar, Ovar

2015 “1ª Bienal de Arte de Gaia”, Vila Nova de Caia

2015 “Colectiva”, Galeria Por Amor, Espaço REM, Porto

2015 ”7X7 Exposição Coletiva Internacional”, Galeria DaVinci, Espaço de Arte, Porto

2015 “3ª Bienal Internacional Mulheres D´Artes”, Museu Municipal de Espinho, Espinho

2015 “6M”, Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, Braga

2015 “Olhares de Mulheres”, Casa da Cultura, Coimbra

2014 “ VAN.DOMA”, Projeto Doma, Douro Marina, Vila Nova de Gaia

2014 “Arte na Leira”, Casa do Marco, Caminha

2014 “Teaser”, Mercearia de Arte Alves e Silvestre, Coimbra

2014 “3ª Exposição Shair”, Galeria DST, Braga

2014 “A Group Show”, The Peach Gallery (We Art – Agência de Arte), Toronto, Canada

2014 “XVI Contemporâneos, Museu Municipal de Espinho, Espinho

2014 “Olhares sobre Vidas”, Instituto Português do Desporto e Juventude”, Viana do Castelo

2014 “Vinho e Fado”, Museu do Vinho, Bairrada

2013 “Pinceladas e Salpicos II”, Museu de Ovar

2013 “Arte e Verão”, Galeria Zeller, Espinho

2013 “Pinceladas e Salpicos I”, Galeria Tomás da Costa, Oliveira de Azeméis

2012 “Consagrados e Emergentes”, Galeria Zeller, Espinho

2012 “Pentagonum”, Galeria Tomás da Costa, Oliveira de Azeméis

2012 “Arte e Investimento”, Galeria Zeller, Espinho

2012 “Colectiva 21”, Biblioteca Municipal Ferreira de Castro, Oliveira de Azeméis

2012 “Arte no Morrazo – XX Coletiva de Pintura e Escultura”, Auditório Municipal de Cangas, Pontevedra, Espanha

2012 “Exposição Coletiva no Mato”, Galeria Mato, Couto de Cucujães, Oliveira de Azeméis

2012 “Encontros em Tempo de Magia II”, Ordem dos Médicos, Porto

2012 “Bakalhau”, Galeria Nuno Sacramento, Ílhavo

2012 “Arte de Bolso”, Galeria Sete, Coimbra

2012 “Ovarte”, Museu de Ovar

2011 “LIVR’arte”, Biblioteca Municipal Ferreira de Castro, Oliveira de Azeméis

2011 “Encontros em Tempo de Magia I”, S. João da Madeira Hotel, S. João da Madeira.

2005 “Artistas de uma Terra”, Galeria S. Miguel, Oliveira de Azeméis.

1977 “Colectiva”, Escola de Belas-Artes do Porto

1976 “Colectiva”, Escola de Belas-Artes do Porto

 

Ilustração

1985 “O Canteiro Vaidoso” de Soledade Martinho Costa, Edição Figueirinhas

1984 “A Joaninha de Asas Cortadas” de Rosa do Céu Amorim, Edição Figueirinhas.

 

Representações e Coleções

Museu Municipal de Espinho

Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira

Museu de Ovar

Centro Cultural do Alto Minho

Coleção Norlinda e José Lima
 

Raquel Guerra nasceu no Porto, em 1976.

Formação em História (UPT) e pós-graduação em Estudos Museológicos e Curatoriais (FBAUP).
Atualmente a realizar doutoramento em Arte Contemporânea (Colégio das Artes, UC).

Curadora e investigadora.
Como investigadora participou nos projetos Anamnese_Plataforma Digital sobre Arte Contemporânea de/em Portugal entre 1993 e 2003 (Fundação Ilídio Pinho, Porto) e IDAP S20_Interface Digital da Arte Portuguesa do Século XX (Universidade Católica Portuguesa Porto).

Bolseira em 2011 da Fundação Calouste Gulbenkian para realização de residência curatorial no Brasil (Rio de Janeiro e São Paulo)_Residência Capacete.

Lecionou na pós-graduação em Fotografia, Projeto e Arte Contemporânea do IPA, Lisboa.

Tem-se dedicado à gestão de coleções de arte contemporânea: Coleção Marín.Gaspar, Coleção Norlinda e José Lima e Coleção Treger/Saint Silvestre.

Diretora do Núcleo de Arte da Oliva Creative Factory, S. João da Madeira, entre 2014 e 2017. Diretora do Centro de Arte de S. João da Madeira entre 2015 e 2017.

Escreve regularmente para catálogos e publicações de Arte.

FICHA ARTÍSTICA

Curadoria
Raquel Guerra

(na imagem:
Sem título, 2019
Tinta acrílica colada em tela
12 x 17 cm
Fotografia: André Lemos Pinto)



 

PARTILHAR: