ORQUESTRA FILARMÓNICA 12 DE ABRIL COM THE PEAKLES

SÁBADO, 19 DE OUTUBRO | 21H30

AUDITÓRIO

CE: M/6

DURAÇÃO: 1H30 (APROX)

PREÇÁRIO:
12€ (com descontos)

ADQUIRIR BILHETES







ORQUESTRA FILARMÓNICA 12 DE ABRIL COM THE PEAKLES

SINOPSE

Depois de ter atuado com renomes da música portuguesa como Luís Portugal (Jáfumega), Jorge Palma, Sérgio Godinho, Manuela Azevedo (Clã), Budda Power Blues & Maria João,Tim (Xutos & Pontapés) e Luís Represas, a Orquestra Filarmónica 12 de Abril decide fazer um tributo aos The Beatles, uma banda icónica, intemporal e memorável. Juntamente com os The Peakles (primeira banda portuguesa a participar no International BeatleWeek Fest), a Orquestra apresenta um espetáculo de uma dimensão orquestral e de uma riqueza sonora ímpar e imperdível dos maiores sucessos dos The Beatles que imortalizaram a banda de Liverpool, sobre a direção de Luís Cardoso e os seus arranjos musicais produzidos para este espetáculo com uma nova roupagem como já esperado pelo público.



 

BIOGRAFIA

The Peakles

Em 2013, após um percurso por bares, foi-lhes feito o convite através da organização do evento OMA – Os Melhores Anos, fazendo a primeira parte de Rui Veloso. Em 2014, tornaram-se na primeira e única banda portuguesa a participar no International Beatle Week Fest, com 10 concertos em 5 dias em Liverpool, incluindo o mítico The Cavern, sempre com salas cheias. Foram igualmente banda residente do Casino de Estoril em 2014 e são a banda residente do Casino de Lisboa desde 2014. Em 2015, foram cabeça de cartaz no Festival Flower Power, partilhando o palco com Fisher-Z; foram convidados pela prestigiada marca brasileira Chilli Beans para atuarem no Hard Rock café, de Lisboa, para o lançamento da coleção de óculos de sol e relógios inspirada na icónica banda de Liverpool, The Beatles. Em 2016, foram convidados a integrar o cartaz do International Beatleweek de Belo Horizonte. Marcaram presença, pelo segundo ano consecutivo no Festival Flower Power, fazendo parte do cartaz com nomes como UHF, Bas Manners e Alphaville.

 

 

OF 12 de Abril

A associação completou em abril, 92 anos de atividade ininterrupta, tendo feito uma transformação profunda nas suas estruturas a partir de 1980. Foi nesta data que contratou pela primeira vez um músico profissional para a Direção Artística. Tratava-se de João Duarte Neves, então Sargento da Banda da Guarda Nacional Republicana.

Foi também nesta data que se construiu o edifício da sede social, com 900 m2 divididos por 2 pisos, que atualmente compreende a mediateca Amílcar Morais, salas para secretariado e direção, a sala de ensaio da orquestra e duas salas para espetáculos e convívios, onde habitualmente se desenvolve toda a vida social da associação.

A Escola da Banda, agora “Oficina de Orquestra”, teve como primeiro diretor o Maestro António Gomes, exímio executante de oboé, nomeadamente, na Orquestra da RDP. Atualmente, e sob orientação do Coordenador Luís Nogueira, integra cerca de 50 alunos a partir dos 6 anos que aprendem de forma gratuita as primeiras lições de música e instrumentos como flauta transversal, clarinete, saxofone, trompete, trombone, trompa, bombardino, tuba e percussão.

A “Oficina de Orquestra” funciona desde 2006 num edifício contíguo à sede, dedicado e especificamente preparado para o efeito.
Passaram pela Direção Artística desta Banda o Comandante José Araújo Pereira, ex-Maestro da Banda da Armada Portuguesa e o Capitão Amílcar Morais, autor de inúmeras composições que fazem parte do reportório da “12 de Abril”.

Atualmente a Direção Artística da “12 de Abril” pertence ao Maestro Pedro Neves e ao Maestro Luí Cardoso.
A “Orquestra Filarmónica 12 de Abril” sucedeu à Banda com o mesmo nome para evitar certas confusões com as “bandas” (pequenos agrupamentos) que proliferam no nosso país e conta atualmente com cerca de 70 executantes.

Do seu vasto reportório fazem parte inúmeras obras clássicas e contemporâneas de todos os períodos e géneros musicais.
Da sua atividade musical destacam-se as inúmeras participações em festas, romarias, concertos, certames musicais e atuações de grande produção com cantores de renome como Luís Portugal (Jáfumega), Jorge Palma, Sérgio Godinho, Manuela Azevedo, Buda Power Blues & Maria João, Tim (Xutos & Pontapés) e Luís Represas.
A nível internacional destacam-se 3 digressões ao Brasil (1999, 2001 e 2003), 1 aos Estados Unidos da América (2000) e 1 à Suíça (2015) a convite das Comunidades Portuguesas aí radicadas. Tem atuado também com regularidade em diversas zonas da Galiza – Espanha.

 

PARTILHAR: