OS ANIMAIS E O DINHEIRO

GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS | BOCA BIENAL DE ARTES CONTEMPORÂNEAS

SÁBADO, 12 SETEMBRO | 21H30

AUDITÓRIO

CE: M/6

DURAÇÃO: 1H00

PREÇÁRIO:
Entrada Gratuita*

*levantamento de bilhetes a partir de 5 de setembro com o limite de dois por pessoa







OS ANIMAIS E O DINHEIRO

SINOPSE

Durante o período da BoCA Bienal 2019, o escritor Gonçalo M. Tavares e colectivo de arquitectos e performers portugueses Os Espacialistas estão presentes. Criaram três performances-conferências para três palcos de três cidades - Teatro da Trindade (Lisboa), Teatro Municipal do Porto - Rivoli (Porto) e Theatro Circo (Braga) - a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Agora, ao longo de 2019 e 2020, as conferênciasperformances são apresentadas em outras cidades e países.
Este trata-se de um espaço efémero para a Arte Directa, de consciencialização e revelação prática das potencialidades artísticas do quotidiano humano. Desenvolvem formas de sentir acima da média a partir de textos, imagens, gestos, objectos e espaços em permanente construção, exposição e ligação com as especificidades do espaço onde se encontram e com o público presente.
Palavras de Gonçalo M. Tavares com imagens, objectos e movimento d`Os Espacialistas.
Os animais e as suas características infinitas. O homem e a sua avidez, um bípede ávido.
Os animais como o primeiro dinheiro.
O dinheiro como o último dos animais; um animal sem volume, largura e comprimento. Um animal abstracto.
As formas do dinheiro versus as infinitas manias dos animais.
Palavras, imagens, objectos e gestos em permanente colisão.
Uma conferência plena de encontros e desencontros entre palavra, imagem e gesto tendo o fragmento como base. Fragmentos: máquinas de produzir inícios.
O corpo, dinheiro animal está presente.

BIOGRAFIA

Gonçalo M. Tavares nasceu em 1970, na cidade de Luanda, em Angola. Desde 2001 publicou livros em diferentes géneros literários, estando as suas obras traduzidas para 36 línguas. Os seus livros receberam vários prémios em Portugal e no estrangeiro, de entre os quais destacamos o Prémio José Saramago (2005), o Prémio Portugal Telecom de Literatura (Brasil 2007 e 2011), o Special Price of the Jury of the Grand Prix Littéraire du Web Cultura (França 2010) e o Prix du Meuilleur Livre Étranger 2010 (França), prémio atribuído antes a Robert Musil, Orhan Pamuk, John Updike, Philip Roth, Gabriel García Márquez, Elias Canetti, entre outros.
Os seus livros deram origem, em diferentes países, a peças de teatro, peças radiofónicas, curtas- metragens e objetos de artes plásticas, vídeos de arte, ópera, performances, projetos de arquitetura ou teses académicas.
Com Os Espacialistas, fez o livro “Atlas do Corpo e da Imaginação” (Editora Caminho).

Os Espacialistas é um projeto laboratorial de investigação teórica e prática das ligações entre Arte e Arquitetura com início de atividade em 2008. Substituem o lápis pela máquina fotográfica, enquanto dispositivo de desenho, de pensamento, de perceção e de diagnóstico do espaço natural e construído, cujas ações são reguladas pelo Diário do Espacialista e auxiliadas pelo “Kit Espacialista Por/tátil” que transportam consigo. Entre os trabalhos realizados destacam-se: projetos de arquitetura, exposições de fotografia, vídeos, instalações, espaços cénicos, performances, colaborações literárias, ilustrações fotográficas, oficinas, seminários e publicações.

FICHA ARTÍSTICA

Produção
BoCA

PARTILHAR: